GDF renegocia dívida com União; economia vai reforçar caixa da Saúde

Parcela vai de R$ 11,8 mi para R$ 7,8 mi por mês; economia é de R$ 4 mi. Dívida cai de R$ 1,3 bilhão para R$ 972 mi após repactuação dos débitos.

A dívida do governo do Distrito Federal com a União caiu de R$ 1,3 bilhão para R$ 972,6 milhões, informou o governador Rodrigo Rollemberg nesta segunda-feira (23). Autorizada em 2014 pelo Congresso, a renegociação dos débitos vai permitir ao GDF uma economia de cerca de R$ 4 milhões por mês. Segundo o chefe do Executivo local, o dinheiro que seria pago ao governo federal vai ser destinado “integralmente à saúde” do DF.

Em dezembro do ano passado, o governo federal regulamentou novos critérios para calcular a dívida de estados e municípios. Em vez de usar um índice com base no IGP-M, que tem interferência do dólar, as dívidas serão reajustadas com base no índice da inflação IPCA ou na taxa básica de juros, a Selic – sendo válido o menor valor. O Distrito Federal é a primeira unidade da federação a “recalcular” a dívida de acordo com as novas regras.

“[Os R$ 4 milhões são um] Recurso que nós colocaremos mensalmente integralmente na Saúde, melhorando a qualidade, nossa capacidade de pagar dívidas de governos anteriores, para com isso melhorar o fornecimento de medicamentos e a conservação de equipamentos”, disse Rollemberg. A dívida na área da Saúde contraída por governos anteriores é de R$ 400 milhões.

De acordo com o secretário de Fazenda, João Antônio Fleury, a dívida do GDF vem desde a década de 90 e deve ser paga até 2029. O dinheiro foi usado principalmente em obras de infraestrutura, afirmou. Além da redução do montante devido, os estados e municípios também têm interesse em alongar o prazo para pagamento. Nesta terça-feira (21), representantes dos governos estaduais vêm ao DF para tratar do assunto no Congresso.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here