Rollemberg dá sinal verde para emendas parlamentares

Em contrapartida, governador pediu empenho e ajuda dos deputados para evitar pauta bomba.

O governador Rodrigo Rollemberg prometeu a liberação de R$ 2 milhões de emendas parlamentares para cada deputado distrital até o final do mês. A promessa foi feita pelo próprio governador na primeira reunião com a base aliada na Câmara Legislativa depois do fechamento da janela para a troca de partidos. A reunião foi na noite de anteontem.

Durante o encontro, Rollemberg também pediu aos parlamentares que evitassem a votação de projetos que onerem os cofres públicos e que possam prejudicar a agenda do GDF.

O governador também pediu maior “sensibilidade” aos distritais antes de novas derrubadas de vetos do GDF para projetos de lei  do Legislativo. A recente sequência de derrubada de vetos, feita no começo deste ano, gerou uma série de entraves na agenda governista. Um exemplo é  do projeto que força o GDF notificar e dar espaço para a defesa de invasores antes de ações de desocupação de área pública, lei que está sendo questionada pelo Ministério Público e o governo na Justiça.

Alinhamento

O secretário-adjunto de Articulação Política, Igor Tokarski (foto), resumiu o encontro como uma reunião de alinhamento. “O governador quer que aqueles parlamentares que têm alinhamento com o governo ajudem na proposição de bons projetos. Por outro lado, que tenham toda cautela em projetos que tenham algum tipo de aumento de despesa”, explicou.

Segundo o líder do governo na Câmara, deputado Julio Cesar (PRB), Rollemberg  sinalizou a disposição de liberar R$ 2 milhões das emendas de cada parlamentar, da base e de oposição, até o final deste mês.

O governador prometeu que fará reuniões semanais com a base. Os encontros serão as segundas-feiras.

Tropa de choque para se justificar

Batizado pelos servidores como “Pacotão da Maldade”, o projeto que impõe  contrapartidas dos estados para conseguir o alongamento das dívidas com a União, em tramitação no Congresso, movimentou ontem a  Câmara Legislativa. Em função da repercussão, o Buriti mobilizou uma tropa de choque para afirmar que o projeto não partiu do governador.

Rollemberg ligou para os distritais para negar a autoria do projeto, que pode até mesmo congelar os salários das categorias. O Fórum Permante dos Governadores, organizado por Rollemberg, negociou com o Governo Federal o alongamento da dívida dos estados em troca de uma série de medidas para economizar os gastos da máquina pública. Segundo o GDF, as medidas inicialmente propostas ao Planalto não são atuais.

“Este projeto não partiu do governador Rollemberg e de nenhum outro. Partiu do Governo Federal”, afirmou Igor Tokarski. Segundo o secretário, o Rollemberg já pediu a revisão do projeto para o relator, deputado Esperidião Amin (PP/SC). Tokarski também afiançou que o GDF não vai necessitar do alongamento da dívida – e, portanto, de qualquer forma, não será atingido pelo projeto.

 

 Fonte: Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here