GDF divulga esquema completo para os Jogos Olímpicos em Brasília

A uma semana da estreia do Estádio Mané Garrincha na Olimpíada do Rio 2016, o governador Rodrigo Rollemberg e secretários de Estado apresentaram o planejamento final da cidade para o evento em diferentes setores, como turismo, mobilidade, segurança e saúde. As informações foram divulgadas na tarde desta quinta-feira (28), no Palácio do Buriti. Em 4 de agosto, a capital recebe dois dos dez jogos que vai sediar, entre eles o primeiro da seleção brasileira, contra a África do Sul, pelo torneio de futebol masculino.

“Brasília se consolida com uma capital de grandes eventos em diferentes áreas: esporte, tecnologia, meio ambiente”, destacou Rollemberg, ao ressaltar que a cidade vai receber uma edição especial da Campus Party, em 2017, e o Fórum Mundial da Água, em 2018.

Ao lado do secretário de Mobilidade, Marcos Dantas, o governador apresentou o Plano de Mobilidade do Governo de Brasília para a Olimpíada. Para facilitar a chegada dos torcedores ao Mané Garrincha e garantir a segurança no local de competição, o trânsito nas vias próximo ao estádio sofrerá alterações nos dias de jogos. Alguns trechos e estacionamentos serão bloqueados. O plano inclui transporte para o estádio em três pontos: Rodoviária do Plano Piloto, Parque da Cidade e depósito do Departamento de Trânsito (Detran-DF) — esse último apenas para pessoas com mobilidade reduzida.

Efetivo das forças de segurança na Operação Olimpíadas

Na área de segurança, a Operação Olimpíadas começou no domingo (24) e vai até 15 de agosto. Serão mobilizados 8,5 mil profissionais para os Jogos. Só o Distrito Federal empregará 4,5 mil agentes da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros Militar, do Detran-DF, do Departamento de Estradas de Rodagem do Distrito Federal (DER-DF) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Já as Forças Armadas vão destinar 4 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica.

As áreas com maior cobertura desse efetivo serão o Mané Garrincha, o Hotel Royal Tulip, que hospedará as delegações olímpicas, e os centros de treinamento: Centro de Capacitação Física dos Bombeiros (Setor Policial Sul) e os Estádios Bezerrão (Gama), do Cave (Guará) e Abadião (Ceilândia).

A secretária da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar Araújo, disse que o governo trabalha para que Brasília seja novamente a cidade mais segura no Brasil em grandes eventos, a exemplo da Copa do Mundo de 2014. “Já estamos com o Centro Integrado de Controle e Comando Regional ativo desde o último domingo e ele vai funcionar 24 horas em dias de jogos.”

Atendimento a turistas durante a Olimpíada em Brasília

Para atender os visitantes esperados para os Jogos Olímpicos, os Centros de Atendimento ao Turista (CATs) ganharão reforço. Além dos três em funcionamento — no Aeroporto de Brasília, na Casa de Chá (Praça dos Três Poderes) e na Torre de TV Digital — serão abertos, de 4 a 13 de agosto, dois postos fixos: um no Setor Hoteleiro Sul e outro no Setor Hoteleiro Norte. Complementarão o apoio ao turista um CAT em tenda na Torre de TV e uma unidade móvel estacionada na Catedral Metropolitana Nossa Senhora Aparecida, na Esplanada dos Ministérios.

Com exceção do CAT na Torre de TV Digital — que funciona apenas aos fins de semana, das 9h às 17h —, os demais centros vão recepcionar os turistas todos os dias, das 9h às 18h. O atendimento, prestado por técnicos da Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer, também pode ser em inglês e em espanhol. Além de tirar dúvidas dos turistas, no local há mapas e livretos com informações sobre os monumentos, a história da cidade e opções de roteiros.

Visitantes e brasilienses ainda contarão com o auxílio de um grupo de voluntários, selecionados pelo governo de Brasília por meio do Portal do Voluntariado. Eles vão atuar no período dos Jogos em quatro eixos — receptivo, pesquisadores, mobilidade e coleta seletiva —, nos períodos matutino ou vespertino, por seis horas diárias. Todos receberão uniforme, lanche e auxílio-transporte. O secretário adjunto de Turismo, Jaime Recena, também citou a sinalização em postes e a decoração dos letreiros Eu Amo Brasília como ações em andamento voltadas ao torneio.

Um grupo dos pesquisadores fará estudos sobre o perfil dos turistas e colherá retornos do nível de satisfação. Serão aplicados cerca de 3 mil formulários com questões elaboradas pela Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer. A equipe de mobilidade vai dar instruções sobre linhas de ônibus e localização de pontos de táxi. Os voluntários do receptivo vão apoiar os CATs e os do eixo coleta seletiva orientarão os torcedores quanto ao destino correto do lixo no Mané Garrincha.

Revitalização de equipamentos esportivos para a Olimpíada

Palco de dez partidas, o gramado do Mané Garrincha recebeu tratamento especial. Uma empresa foi contratada para fazer manutenção preventiva e corretiva pelo período de um ano. Medidas pontuais foram adotadas, como iluminação suplementar, corte vertical e colocação de sementes de grama sobre o gramado. Todas essas ações são executadas pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap).

A Novacap também concluiu reparos em diversas partes da rede hidráulica e elétrica do Mané Garrincha. Na parte externa, houve revitalização de parte do estacionamento externo. Foram colocados 3,2 mil metros quadrados de piso intertravado, conhecido como piso de bloquetes.

No Cave, no Guará, o gramado foi retirado e instalou-se um novo. As obras iniciadas em abril seguirão após os Jogos Olímpicos e incluem a construção de duas novas bilheterias, uma tribuna de imprensa e um edifício administrativo com vestiário, por exemplo. Já o Estádio Abadião, em Ceilândia, ganhou manutenção nas instalações elétricas, pintura do complexo administrativo e dos vestiários, além de instalação de piso de concreto em diversos lugares. Os dois, ao lado do Estádio Bezerrão e do Centro de Capacitação Física do Corpo de Bombeiros (Cecaf), são os locais de treino das seleções que vêm a Brasília.

“O Abadião e o Bezerrão estão com gramado e infraestrutura em boas condições. O Cecaf foi testado e aprovado pela África do Sul. Quanto ao Cave, quem vai dizer se ele seguirá ou não como centro de treinamento serão os atletas”, disse a secretária do Esporte, Turismo e Lazer, Leila Barros. Segundo ela, em acordo com a organização da Rio 2016, foi marcado um treino para domingo (31) no local. No dia, os atletas (a seleção ainda será definida) avaliarão o campo.

A cidade ainda recebeu outras melhorias para os Jogos Olímpicos, como o plantio de aproximadamente 500 mil mudas de flores em áreas próximo ao Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek e na região central do Plano Piloto.

Emergências de saúde dentro e fora do Mané Garrincha

O plano de ação da Secretaria de Saúde durante a Olimpíada também está pronto para ser colocado em prática. Uma das determinações é que seja feito pelo Samu o atendimento pré-hospitalar em todos os arredores do Mané Garrincha. Em cada partida, duas ambulâncias, com três profissionais cada uma, e duas motos, com dois servidores cada uma, serão destinadas para a área. No estacionamento próximo à arena, estará a postos um caminhão para múltiplas vítimas, com tendas, que, se acionadas, ficam prontas em 20 minutos.

No interior do estádio, 12 pessoas da Vigilância Sanitária e da Vigilância Epidemiológica inspecionarão as instalações e os alimentos que serão comercializados. O atendimento pré-hospitalar dentro do Mané Garrincha será de responsabilidade do comitê organizador da Olimpíada.

O Hospital de Base será a unidade de referência para o atendimento a pessoas com quadro clínico de trauma. Já o Hospital Regional da Asa Norte (Hran) será destinado aos demais casos clínicos. Para dar apoio às duas unidades de saúde, foi escolhido o Hospital Regional de Taguatinga.

Nas datas dos jogos, 30% dos leitos de pronto-socorro dos Hospitais de Base e Regional da Asa Norte serão reservados para atender à demanda do dia. Os procedimentos cirúrgicos eletivos e as consultas ambulatoriais serão feitos conforme previsto, e os centros de saúde funcionarão normalmente.

Todas as tipagens sanguíneas disponíveis na Fundação Hemocentro de Brasília estão com porcentuais de 20% a 200% acima do estoque considerado estratégico para suprir a necessidade da Secretaria de Saúde. Se for preciso, o Ministério da Saúde mobilizará estoques.

Fonte – Jornal de Brasília

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here