Coluna Entorno: Interpretação das pesquisas

Interpretação das pesquisas

A maior dificuldade encontrada entre as coordenações das campanhas foi a interpretação dos dados das pesquisas eleitorais.

Manutenção

Os candidatos que iniciaram a disputa na frente e se mantiveram os 45 dias sem crescimento foram os que mais se decepcionaram. No mínimo, a coordenação de campanha deles deveria ter ligado a luz de alerta.

Queda

Pior para os candidatos que iniciaram a disputa com um bom percentual e viram os números caírem, semana após semana.

Crescimento

Os grandes vitoriosos foram aqueles que cresceram, pesquisa após pesquisa.

Indecisos

A tendência, no dia da eleição, é de que os indecisos acompanhem aqueles candidatos que cresceram durante a campanha.

Mensagem

Candidatos que cresceram durante a eleição acertaram sua mensagem com os anseios do eleitor.

Quem cresceu?

Dr. Allysson (PPS), em Alexânia, Pábio Mossoró (PSDB), em Valparaíso de Goiás e Fábio Correa (PRTB) em Cidade Ocidental são exemplos de candidatos que começaram atrás e, semana após semana, aumentaram o percentual de intenção de voto. No dia da eleição ganharam a maioria dos indecisos.

Quem manteve a liderança?

Hildo do Candango (PSDB), em Águas Lindas, Dr. Adolpho (PMDB), em Santo Antônio do Descoberto, Sônia Chaves (PSDB), em Novo Gama e Dr. Davi (PROS) em Planaltina são exemplos de candidatos que estavam na frente e conseguiram, através de uma mensagem coerente aos anseios do eleitor, manter e crescer na intenção de voto, ganhando a aceitação da maioria dos indecisos.

Quem não conseguiu se manter?

Marcelo Melo (PSDB) em Luziânia é um dos casos contrários. Iniciou a campanha com grande margem à frente do prefeito Cristovão Tormin (PSD), na reta final, a prestação de contas feita por Tormin convenceu o suficiente para colocá-lo à frente de Melo nas urnas. O caso será definido na Justiça.

O Bolt do Entorno

A eleição de 2016 revelou que o município de Águas Lindas de Goiás tem uma nova liderança política na região. O prefeito Hildo do Candango (PSDB), entrou para a história da cidade. Foi o primeiro deputado estadual e o primeiro prefeito reeleito em Águas Lindas. Hildo foi ousado, com uma comunicação eficiente de ponta a ponta, manteve os votos da eleição de 2012 e ainda ampliou. Quando um princípio de rejeição começou a assombrar seu projeto de reeleição, um planejamento eficaz foi colocado em prática, antes mesmo de iniciar a campanha. Hildo deixou para trás políticos tradicionais como o ex-prefeito Geraldo Messias (PTC) e o ex-deputado federal Enio Tatico (PMDB). A grande surpresa foi do candidato solitário Tullio (DEM), que só tinha um partido e mesmo assim ficou em segundo lugar.

Comunicação eficiente

Poucas campanhas entenderam a nova legislação e o uso das redes sociais como a campanha de Hildo. Sua comunicação deve ser estudada. Hildo parecia o atleta Usain Bolt, correndo na frente, sem fazer esforço e com uma margem segura para observar o andamento dos adversários.

Pesquisas em xeque

O resultado de Hildo do Candango foi tão emblemático que temos relatos de institutos de pesquisa que tiveram seus serviços dispensados pelos concorrentes por não acreditarem que Hildo estava tão à frente. Candidatos acusaram donos de institutos de estarem manipulando os números a favor de Hildo.

Comprovação na urna

A sorte dos empresários de institutos de pesquisa, que realizam um trabalho sério, é que existe o resultado das urnas para comprovar os dados. Tem dono de instituto com a alma lavada.

Supremacia total

A diferença entre os votos de Hildo e o segundo colocado foi de 27.904 votos.

* A Coluna Entorno é escrita por Sandro Gianelli e impressa todas as quartas no Jornal Alô Brasília.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here