Número de famílias endividadas no DF aumenta em setembro

familiadividas_not1175O endividamento cresceu novamente no Distrito Federal. O número de famílias endividadas no DF passou de 725.723 em agosto para 741.677 em setembro (aumento de 15,9 mil). Significa que 79,8% da população brasiliense está endividada. É o que mostra a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Distrito Federal (Fecomércio-DF).

Nos últimos quatro anos Brasília permaneceu nas primeiras posições do ranking de capitais com as maiores porcentagens de famílias endividadas do Brasil. Em junho deste ano, a capital do País ocupou o quarto lugar com 78% das famílias endividadas, enquanto a média nacional foi de 58%. Apesar do patamar elevado, o DF mostra trajetória anual de redução no número de famílias endividadas: em 2013 e 2014 eram 82%, já em 2015 eram 79%.

O presidente da Fecomércio, Adelmir Santana, destaca que as altas taxas de juro dificultam a vida do consumidor. “A dificuldade na hora de pagar as contas atrasadas são os juros acumulados. Em algumas modalidades de crédito os juros são exorbitantes, o que dificulta o pagamento e prolonga o prazo para quitação total da dívida”, explica Adelmir. Ainda de acordo com ele, a falta de reajuste dos servidores públicos e a baixa demanda de contratação por parte do setor privado contribuem com o quadro de endividamento das famílias brasilienses.

Dentre as famílias com contas em atraso, 69,3% disseram ter condições de quitar suas dívidas parcialmente, 23,8% afirmaram que tem condições de quitar totalmente e 1,8% dos brasilienses disseram não ter condições de quitar as contas. O cartão de crédito continua sendo o maior instrumento causador de dívidas da população do DF: 90,5% se declararam comprometidas nesta modalidade.

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) foi realizada com uma amostra de 600 famílias. O estudo serve para orientar os empresários dos setores de comércio, serviços e turismo que utilizam o crédito como ferramenta estratégica para o incremento das vendas, uma vez que permite o acompanhamento do perfil de endividamento do consumidor e sua percepção em relação à capacidade de pagamento.

Cenário Nacional

Pesquisa realizada pela Fecomércio-SP aponta que a parcela de famílias endividadas nas capitais brasileiras caiu de 62% em 2013 para 58% no final do primeiro semestre de 2016. Essa queda indica que mais de 400 mil famílias conseguiram se livrar do endividamento nesse período. Em 2013, eram 9,466 milhões de famílias com algum tipo de dívida. Em junho deste ano, o número caiu para 9,062 milhões. O estudo avalia os principais aspectos e efeitos da política de crédito no Brasil no período de 2013, quando o avanço inflacionário exigiu a retomada de uma política de juros mais agressiva, ao primeiro semestre deste ano, em que a recessão econômica ainda se mostra persistente. A redução no conjunto dos endividados e no valor das dívidas se refletiu na queda no valor da dívida média mensal das famílias. Houve uma redução de 2,6% em termos reais no período, passando de R$ 1.611 para R$ 1.569. Em contrapartida, a proporção de famílias com contas em atraso subiu de 21%, em 2013, para 23%, em junho deste ano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here