OPINIÃO | Caso Sandra Faraj: novos desdobramentos e a decisão da Mesa

Há cerca de um mês a deputada distrital Sandra Faraj (Solidariedade) é alvo de denúncias na imprensa. O que motivou a abertura de processo por quebra de decoro parlamentar. O caso tem vários desdobramentos. E vem se mostrando um projeto de vingança de ex-servidores comissionados do próprio gabinete da parlamentar.

Parte da imprensa comprou a briga contra a deputada, o que foi suficiente para um processo de desgaste perante a opinião pública. Juntou-se uma combinação explosiva: vingança e ódio. A primeira de retaliação do grupo que foi exonerado e a segunda pautada pela discriminação a parlamentar por suas posições.

O caso vem ganhando novos desdobramentos nessa semana. Fazendo o contraponto do ódio de outras publicações na imprensa, o jornal Correio Braziliense começa a desvendar a história. Mostra que o ex-chefe de gabinete Manoel Carneiro entrou ilegalmente na sala da parlamentar e saiu com documentos, segundo a reportagem.

Manoel Carneiro é peça chave na trama. Todos os personagens que fizeram denúncias contra Sandra Faraj têm ligações com o ex-chefe de gabinete e fazem parte do seu círculo de intimidade. O dono da empresa, o ex-servidor que denunciou dízimo, a ex-servidora que estava grávida. Todos têm Carneiro como elo. Todos juntos e exonerados.

Ninguém ainda parou para refletir porque a empresa só fez a cobrança agora, quase dois anos da emissão da primeira nota.

E a servidora que diz ter sido demitida grávida, na verdade pediu exoneração e já estava nomeada num cargo na Secretaria de Justiça, também a pedido de Manoel Carneiro, antes de sair do gabinete da deputada. Ela, inclusive, recebeu todo o benefício da licença maternidade pela Sejus e agora está querendo receber também pela Câmara Legislativa. O que seria, além de imoral, ilegal.

O caso é ainda mais grave. O blog teve acesso aos documentos que está na defesa da deputada. Entre eles, há pelo menos uma nota fiscal falsa entregue pela empresa Net Pub. A nota fiscal eletronônica teria sua chave adulterada.

Outro ponto estranho é que a empresa prestou serviço a outros parlamentares e as notas entregues constam diversidade de carimbos e assinaturas. A imprensa se pegou muito em carimbos e assinaturas diferentes, mas não percebeu que esse é o modus operandi da empresa, conforme documentos que estão nos autos.

A Mesa Diretora da Câmara Legislativa vai tomar uma decisão sobre o caso Sandra Faraj na segunda-feira (22). Os novos elementos deverão servir para embasar o destino da ação contra a parlamentar. Irão verificar se ela está sendo vítima de uma farsa montada por um grupo ou se as denúncias têm consistência. Até lá, o caso deve ganhar novos desdobramentos.

O maior erro da deputada foi não ter feito o contraponto durante o tiroteio mídiatico, levando sua imagem ao desgaste. O blog procurou a parlamentar, mas, novamente, ela não quis se manifestar por orientação dos advogados. Apenas afirmou que a farsa será desmascarada.

Fonte: Blog do Callado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here