Três perguntas para o Secretário Adjunto do Trabalho Thiago Jarjour

Crédito: Gabriel Jabur – Agência Brasília

Qual é o modelo de gestão econômica adotado pela secretaria de trabalho?

Reestruturamos vários contratos, fizemos um estudo do custeio da secretaria, vimos onde podia cortar e cortamos em vários lugares. Nós entregamos inúmeros alugueis, de quatro agências do trabalhador, que gerou economia de mais de R$ 600 mil, fizemos mudança de sede que gerou economia de R$ 2,2 milhões, fizemos mudança no parque tecnológico, economizando R$ 1,2 milhão. Só em 2016 economizamos R$ 4,2 milhões no custeio da secretaria.

Qual é o papel da secretária adjunta de trabalho?

Temos focado na qualificação profissional para aumentar o nível de empregabilidade no DF. Além da luta pela geração de emprego e renda, a intermediação de mão de obra, inserção dos trabalhadores no mercado de trabalho, fomento de empreendedorismo por meio do programa de microcrédito, o Prospera, temos também a Fábrica Social, que é um grande lugar de capacitação social e profissional.

Qual será o impacto da Campus Party para o DF?

A Campus Party coloca Brasília no radar das grandes empresas de tecnologia do mundo. Onde a Campus vai, as empresas ficam de olho. Brasília tem um ecossistema muito farto de inovação, empreendedorismo, tecnologia e startups.

Por Sandro Gianelli
Coluna On´s e Off´s / Jornal Alô Brasília

COMPARTILHAR
Artigo anteriorUso exclusivo
Próximo artigoAprovado
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; autor do Blog do Sandro Gianelli; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 12h às 14h, na Rádio OK FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here