Escolha uma Página

Partidos aliados ao PMDB na sustentação do governo de Michel Temer já pensam em abandonar o barco. O recado já chegou para o presidente. Quem lidera o movimento é o PSDB. Como Temer se nega a renunciar, as esperanças são de que o TSE casse a chapa Dilma/Temer.

Salvando o Congresso

Para a classe política o melhor seria que o TSE tirasse esse desgaste do Congresso e resolvesse. Assim Temer não teria que admitir culpa e jogaria a responsabilidade para cima da ex-presidente Dilma e o PT. Nem mesmo o PMDB quer sangrar com a permanência de Temer. Todos temem as eleições de 2018 e o desgaste para o partido.

Desconstrução do legado

Outro nome sempre lembrado é o do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). FHC foi responsável por controlar a inflação no Brasil. Foi reeleito presidente e naquele momento fez uma gestão importante para o país. Se aceitar e for indicado, poderá desconstruir seu legado. Ninguém imagina o ainda poderá acontecer.

Sucessão nos bastidores

A discussão da sucessão ao presidente Temer segue a todo vapor. O PMDB deve tentar emplacar o ex-ministro Nelson Jobim (PMDB-RS), já o PSDB deve defender o nome do presidente interino, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Nomes como o do senador Álvaro Dias (PV-PR) e de Cristovam Buarque (PPS-DF) também correm nos bastidores.

Por Sandro Gianelli / Coluna On’s e Off’s / Jornal Alô Brasília