Fiel ao partido

Em entrevista ao portal Extra Pauta a ex-governadora Maria de Lourdes Abadia (PSDB/foto) afirmou que ainda não vê um nome para liderar um grupo em prol de uma candidatura ao GDF. Abadia deixou claro que caminhará com o PSDB local, mas não citou o nome do deputado federal Izalci Lucas (PSDB), que tem percorrido o DF como pré-candidato do partido.

Meu caminho é o legislativo

Abadia afirmou que se for candidata em 2018 concorrerá a uma vaga proporcional, mas não citou se seria de deputada distrital ou federal. A ex-governadora se disse abandonada por Joaquim Roriz na eleição de 2006 e lamenta que o PSDB no DF tenha sido uma legenda usada por políticos sem compromisso com o partido.

Conselheira do TCDF

Abadia revelou que o acordo feito antes das eleições de 2006 era que ela não sairia candidata. Arruda seria o candidato ao governo, Paulo Octavio o vice, Tadeu Filippelli deputado federal e ela seria indicada para ser Conselheira do Tribunal de Contas do Distrito Federal.

Infidelidade e fofocas

Maria de Lourdes deixou claro que sua candidatura foi traída por várias pessoas que ocupavam o governo, incluindo Roriz, que chegou a liberar o grupo para escolher entre Abadia ou Arruda. O acordo de chapa única da direita não foi honrado por conta de fofocas no meio político.

Por Sandro Gianelli / Coluna On’s e Off’s / Jornal Alô Brasília

COMPARTILHAR
Artigo anteriorDe adversário para aliados
Próximo artigoColuna Entorno | BR 040 iluminada
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; autor do Blog do Sandro Gianelli; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 12h às 14h, na Rádio OK FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here