Rede destinará 30% de vagas para movimentos sociais em 2018

A Rede Sustentabilidade planeja ter 30% de suas candidaturas nas eleições do ano que vem destinadas a representantes de movimentos sociais que queiram concorrer a cargos eletivos. O percentual está indicado nas diretrizes (íntegra) do partido para eleições de 2018.

Para se candidatar a cargos de deputados estaduais e federais,  ou majoritários como governador ou senador, esses representantes deverão defender ideias alinhadas com o programa do partido, diz o partido. Entre as bandeiras levantadas, estão a defesa da vida e o desenvolvimento econômico-social sustentável.

“Estamos abertos. Fazendo contato com esses grupos. Nós temos a intenção de sermos uma plataforma aberta”, afirma Zé Gustavo, 1 dos porta-vozes do partido.

Não há citação para possíveis candidatos cidadãos concorrendo à Presidência. Esse posto deve ser destinado a Marina Silva.

Para concorrer nas próximas eleições, os candidatos farão uma “filiação cívica” à Rede. Caso sejam eleitos, os candidatos terão a liberdade de não continuar na legenda.

A decisão reafirma a PEC 350 (Proposta de Emenda à Constituição) apresentado pela liderança da Rede na Câmara que libera candidaturas a cargos eletivos independentemente de filiação partidária. Leia a íntegra.

Nas diretrizes aprovadas, o partido também planeja a igualdade de gêneros nas candidaturas. A Rede não quer mulheres concorrendo de forma “fictícia”.

Para as candidaturas majoritárias, o partido não poderá participar de coligações com “personalidades envolvidas em escândalos de corrupção, que apoiem a intervenção militar ou incitem qualquer forma de violência contra a pessoa humana ou grupos vulneráveis”.

“A Rede Sustentabilidade não poderá participar de coligações que tenham candidaturas majoritárias com personalidades envolvidas em corrupção, que apoiem a intervenção militar ou incitem qualquer forma de violência contra a pessoa humana ou grupos vulneráveis. Deverá ser observado também o histórico político dos candidatos e partidos em âmbito local, no que tange à cultura política e à postura referente às questões socioambientais”, diz o documento.

Fonte: Poder 360

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO que esperar das eleições de 2018
Próximo artigoProjeto aprovado em comissão abre brecha para criação de fundo eleitoral
Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; autor do Blog do Sandro Gianelli; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 12h às 14h, na Rádio OK FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here