PSB nacional lança plano estratégico para disputa eleitoral de 2018

A Fundação João Mangabeira, entidade ligada ao PSB, lançou nessa quarta-feira (13) um plano estratégico de desenvolvimento nacional, que vai balizar as movimentações do partido para a disputa eleitoral do próximo ano. O projeto foi coordenado pelo ex-governador Renato Casagrande, que é presidente da Fundação João Mangabeira.
O jornal Valor Econômico desta quinta-feira (14) repercutiu o lançamento do programa, com destaque para a coordenação de Casagrande. “O Brasil está fechando um ciclo político que teve início com a eleição de Tancredo Neves, pelo Colégio Eleitoral”, apontou Casagrande no texto de abertura do documento.
Na semana passada, o mesmo jornal mostrou a movimentação do governador Paulo Hartung (PMDB) em direção ao ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa (sem partido), que poderia levar ambos para o PSB para uma disputa à Presidência da República.
Questionado sobre a movimentação, Casagrande afirmou que a conversa com Barbosa estava dentro de uma movimentação maior. De fato, o partido tem feito articulações que tentem atrair lideranças com peso político, que não sejam oriundas do mercado político, como Barbosa.
Tanto que na mesma edição desta quinta-feira, o Valor destaca a retomada de uma articulação com o também ex-ministro do Supremo Carlos Ayres Britto. Ele já teria se reunido três vezes com a cúpula socialista, visando à sucessão de Michel Temer. No último encontro, que aconteceu, segundo o jornal, na casa do irmão do governador do Distrito Federal, Rodrigo Rolemberg, Casagrande marcou presença no encontro.
Como ele é o coordenador do programa e tem tratado pessoalmente das articulações da nacional, a impressão é de que dificilmente a aproximação de Hartung com o partido poderia ser concretizada sem passar por ele. Sem contar que as diretrizes criadas no programa não se encaixam no modelo defendido pelo governador do Estado.
Hartung defende a minimização do sistema previdenciário, nos moldes do que está sendo discutido no Congresso Nacional, já o projeto do PSB prevê a realização de uma reforma política e uma “unificação dos regimes previdenciários com todos os trabalhadores e trabalhadoras, dos setores público e privado, sob o mesmo sistema previdenciário”, explica Casagrande ao Valor.
Enquanto Hartung se coloca como um defensor da reforma trabalhista aprovada em Brasília, a Fundação João Mangabeira defende uma “Quarta Revolução Industrial”, cuja tendência “é reduzir à menor dimensão de tempo possível a atividade produtiva e criativa dos seres humanos, gerando um volume cada vez maior de mais-valia relativa”.
Fonte: Século Diário

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here