On´s e Off´s | Rôney Nemer deverá ser julgado pelo STF na próxima semana

Por Sandro Gianelli

Na pauta

O deputado federal Rôney Nemer (PP/foto) deverá ser julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) na próxima segunda-feira (25). A ação é por envolvimento na Caixa de Pandora. Rôney foi condenado por apoiar o ex-governador Arruda em troca de um mensalão.

Situação complicada

A acusação é que, de 2007 a 2009, Rôney, que era deputado distrital, recebia um mensalão, escândalo que derrubou o governo de Arruda. Para piorar a situação a responsável pela Caixa de Pandora, na época, hoje é a Procuradora Geral da República a procuradora Raquel Dodge.

Situação confortável

Se condenado, Rôney deverá perder o mandato. Quem assume é o presidente do PTB, Alírio Neto (foto). Caso isso aconteça, deixará Alírio numa situação confortável. Alírio é pré-candidato ao Palácio do Buriti e tem sido um ferrenho opositor ao governo Rollemberg.

Apoio de peso

Alírio tem o apoio do ex-deputado federal e presidente nacional do PTB, Roberto Jeferson, que declarou recentemente que o partido deverá apoiar o PSDB nacional. Em troca, o PTB cobrará o apoio dos tucanos para três candidaturas majoritárias, uma delas é a de Alírio.

Palanque

Nessa altura do campeonato, se Alírio assumir o mandato na Câmara dos Deputados, além de poder nomear uma equipe, passará a usufruir do Plenário para se destacar ainda mais como opositor ao governo. Passa a ter espaço político e palanque.

Manipulação

O presidente do Sinpol-DF, Rodrigo Franco Gaúcho, acusa o Governo de Brasília de manipular os dados referentes ao registro de crimes graves. “O GDF divulga dados manipulados para parecerem positivos e assim tentar justificar a falta de investimos na Polícia Civil e na Segurança Pública como todo”.

Reembolso

Os Planos de Saúde terão que reembolsar integralmente as despesas com o tratamento de pessoas com deficiência. A Lei é de autoria do deputado distrital Rafael Prudente (PMDB). A Lei havia sido vetada pelo governador, mas a Câmara Legislativa derrubou o veto.

Principal projeto

O projeto de lei que muda o sistema de previdência dos servidores públicos da capital é considerado pelos integrantes do governo como o mais importante já apresentado durante a atual gestão. Se aprovado, o governo terá aproximadamente 200 milhões de reais mensais para investir no DF.

Acordo

O projeto deve entrar na pauta na próxima terça-feira (26). Executivo e Legislativo buscam um acordo para votar um projeto alternativo. A união dos fundos de previdência deixará o governo numa situação confortável e poderá pagar fornecedores e investir em diversas obras em todo o DF.

Quebra de braço

A oposição entende que, se aprovado, o governo ganhará folego e poderá se fortalecer para as eleições de 2018. A maioria não se preocupa se será melhor ou pior para os servidores, o que está em risco é o resultado das eleições. Se num futuro próximo for detectado que a medida tenha sido um erro. Quem estiver governando o DF que busque uma solução.

Sem reajuste

De acordo com a Lei Orçamentária encaminhada pelo governo do Distrito Federal à Câmara Legislativa, os servidores públicos não terão reajustes salariais em 2018. Para os concurseiros a expectativa para 2018 também não é nada boa.

* A Coluna é escrita por Sandro Gianelli e publicada de segunda a sexta no Blog do Sandro Gianelli, no Jornal Alô Brasília e no Portal Alô Brasília.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here