Lula volta a se defender e diz que vai disputar as eleições sem impedimento

Em discurso que durou mais de 30 minutos, em Montes Claros, no dia de seu aniversário no final desta sexta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a se defender das acusações que pesam contra ele no âmbito das investigações da Operação Lava-Jato. Afirmou que é inocente e que nunca roubou”, emendando que, assim, vai disputar novamente a eleição presidencial em 2018 sem impedimento por causa das denúncias investigadas.

Lula lembrou que, aos 12 anos, queria comer uma maçã e como não tinha dinheiro, às vezes, sentia vontade de roubar a fruta. E não fez isso para não envergonhar sua mãe. “Não é (será) agora, aos 72 anos que vou roubar um centavo para envergonhar milhões e milhões de pessoas que a vida inteira confiaram em mim”, disse Lula, que se encontrou em Montes Claros com o presidente da Coteminas, Josué Alencar, que corteja para ser seu candidato a vice.

“Sei que represento muito para este país. Sei o que nós fizemos para este país. Eu a Dilma (Rousseff) e o PT. O Brasil nunca foi tão respeitado”, acrescentou o ex-presidente. Ele discursou tendo a companhia no palanque a ex-presidente Dilma Rousseff e outras lideranças nacionais do PT, como a senadora Gleise Hofmann e o ex-ministro e ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, que também fizeram o uso da palavra. Continua depois da publicidade

Ele disse que é vítima de “ódio” e perseguição das elites por favorecer as classes menos favorecidas e, sem citar nominalmente a Lava Jato, voltou a manda um recado para os investigadores da Operação. Lembrando que ” não estou acima da lei e acima da justiça”, destacou: “Não são aqueles meninos que passaram alguns anos estudando para fazer concurso que vão julgar a história de um homem de 72 anos dedicados à luta do povo e da luta deste país” . Salientou sua vida foi “revirada” e deram buscas em sua casa e “não encontraram nada e não ser vergonha de sobra”.

O petista citou outros políticos investigados ou presos no âmbito da ava Jato, dos quais foram localizados dinheiro em contas no exterior e em espécie, como o ex ministro Geddel Vieira Lima, o suposto dono de R$ 51 milhões em malas apreendidas em um apartamento em Salvador.

Em seguida, ele emendou, em tom de desafio: “se eles (os investigadores da Lava Jato) estão acostumados lidar com políticos ladrões, se estão acostumados com políticos covardes, que eles denunciam e enfiam o rabo entre as pernas, pois bem, vao ter que enfrentar um cidadao que não é corrupto, que não tem medo deles. A única que quero e é que se faca justiça neste país. Por isso, quer o disputar ( a eleição de 2018) e disputando e vencendo, quero fazer uma revolução social neste pais”, assegurou.

A concentração petista em Montes Claros foi realizada na Praça da Catedral, que ficou lotada. A Polícia Militar não informou o público. O evento foi organizado com o apoio da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e do Sindicato Único dos Trabalhadores da Educação, além de movimentos sociais. O ato público contou também com a participação de moradores de outros municípios do Norte de Minas citados na concentração pelo deputado estadual Paulo Guedes. Eles foram transportados em ônibus até Monte Claros, mas não foi divulgado como foram pagas as despesas.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva percorre Minas Gerais na Caravanas por Minas Gerais – Lula pelo Brasil. Na manhã deste sábado, ele faz uma parada em Bocaiúva, ainda no Norte de Minas, onde se encontra com o governador Fernando Pimentel. De Bocaiúva, Lula e seus correligionários seguem para Diamantina.

A viagem foi iniciada segunda-feira em Ipatinga, no Vale do Aço, e será encerrada na próxima segunda-feira, em Belo Horizonte . O ex-presidente petista passou por Teófilo Otoni (Vale do Mucuri), Governador Valadares (Leste do estado), por municípios do Vale do Jequitinhonha, como Araçuaí, e outras cidades do Norte de Minas como Salinas e Francisco Sá.

Fonte: Em.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here