Entrevista | “Sou o único pré-candidato ao GDF com apoio total da executiva nacional do meu partido”, diz Alírio Neto

Por Sandro Gianelli

O ex-deputado distrital Alírio Neto concedeu entrevista ao programa Conectado ao Poder, da Rádio OK (104,1 FM), no último sábado. Alírio é presidente do PTB/DF, primeiro suplente de deputado federal, foi secretário de estado e administrador regional, e é um dos pré-candidatos ao GDF nas eleições de 2018. O Conectado ao Poder é apresentado por este colunista, com a participação de Rodrigo Mercúccio e Bruno Oliveira, todo sábado, das 6h às 8h. A Coluna On´s e Off´s trouxe um resumo das declarações.

Preparado

“Estou no momento certo para governar o DF, pela experiência que tenho, seja como deputado, secretário ou administrador. Nunca estive tão preparado. Durante seis anos fui gestor do Na Hora, o maior atendimento de serviço do DF. Deixei o Na Hora com 98% de aprovação. Na época, foi o órgão público com a maior avaliação positiva do país. Quando fui administrador do Guará sai com 84% de aprovação.”

Melhor governador

“Na questão administrativa o Arruda foi o melhor governador do DF. Oito anos após a saída do Arruda do governo e praticamente todas as grandes obras que estão em execução no DF ainda são consequência do trabalho executado pela equipe de governo do Arruda.”

Legislativo

“É quase impossível ser o chefe do Executivo e não ter a participação, não ter a maioria no Legislativo. Você precisa dessa parceria em consequência da legislação nacional. Fui presidente da Câmara e tenho uma visão muito clara sobre o Legislativo.”

Segurança

“Entendo que temos que ter foco emergencial em relação a segurança pública. A população está acuada dentro da sua casa, refém da insegurança. Temos aproximadamente 14 mil pessoas com mandado de prisão não executado no DF e isso se reflete na insegurança que vivemos.”

Cidade da saúde

“Defendo que o Centro Administrativo seja transformado na Cidade da Saúde. O espaço está pronto e mais cedo ou mais tarde a fatura será cobrada. Podemos transformar cada prédio daquele num centro de excelência por especialidades. Um prédio para a saúde da mulher, outro para a saúde da criança, saúde da terceira idade, etc.”

OS

“Não sou contra a implantação de OS na saúde, mas não concordo com a implantação do Instituto Hospital de Base, não se deveria ter começado pelo maior e principal hospital do DF. Deveria ter sido escolhido uma unidade menor, um hospital menor, com o intuito de se fazer um teste.”

Abandono

“As pessoas com deficiência física no DF não estão tendo a oportunidade de ter um tratamento adequado. O DF precisa ter um centro de tratamento para pessoas com deficiência. Se eu for eleito governador transformarei a residência oficial nesse centro especializado.”

Administrações

“O gestor moderno vai desconcentrar e descentralizar a administração pública. O governo atual fez o contrário, ele esvaziou as administrações regionais. Precisamos potencializar as administrações. Temos que levar todos os serviços públicos de cada cidade para dentro da sua administração. Transformar as administrações num posto do Na Hora bem mais completo.”

Pego de surpresa

“A filiação do Ibaneis Rocha no PMDB pegou todos de surpresa, não pela importância do posicionamento do Ibaneis nas pesquisas de intenção de votos, mas sim pelos acordos que o grupo formado por mim (Alírio), Fraga, Frejat, Izalci e Filippelli tínhamos fechado.”

Rompimento

“A entrada do Ibaneis como pré-candidato ao GDF pelo Ibaneis nos dá o entendimento de que o acordo esta rompido por parte do Filippelli. O pré-candidato do PMDB, no acordo, era o Filippelli.”

Acordo

“O acordo foi firmado entre nomes, tanto que as reuniões iniciais não se chamavam partidos. O próprio Frejat não é o presidente do PR, mas participou das reuniões. O acordo sempre foi entre os pré-candidatos, apoiando o nome que estivesse melhor.”

Legitimidade

“O grupo segue unido entre mim (Alírio), Fraga, Frejat e Izalci. Nós não excluímos o Filippelli. A filiação do Ibaneis é legitima, o que ficou estranho foi seu discurso como pré-candidato do PMDB. Esse acordo foi construído em 2015.”

Inviabilização

“Quando o Filippelli se inviabilizou como candidato ele buscou o Ibaneis e permitiu que ele se lançasse como candidato. Porém, o Ibaneis não estava no nosso acordo, firmado há dois anos. Não temos receio ao nome do Ibaneis, mas não acredito que ele fique melhor posicionado, nas intenções de voto, realizadas por meio de pesquisas, do que outros nomes envolvidos no acordo.”

Lavagem de roupa

“O grupo ainda não se reuniu após a filiação do Ibaneis. Essa reunião deve acontecer nesta semana. Meu posicionamento é que nesse jogo não tinha uma regra que se pudesse substituir um dos nomes.”

Majoritário não

“Nesse momento não vejo essa importância a nível de majoritário para o Ibaneis. É uma pessoa que eu respeito, tem uma história, foi presidente da OAB/DF, mas eleitoralmente eu não vejo a inserção dele na sociedade no nível de se disputar um cargo majoritário, seja de governador ou de senador.”

* A Coluna é escrita por Sandro Gianelli e publicada de segunda a sexta no Blog do Sandro Gianelli, no Jornal Alô Brasília e no Portal Alô Brasília.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here