Entrevista | “O PSDB é um dos responsáveis pelo governo Rollemberg dar certo ou não”, diz Virgílio Neto

Por Sandro Gianelli

O Subsecretário de Integração das Ações Sociais da SEDESTMIDH Virgílio Neto concedeu entrevista ao programa Conectado ao Poder, da Rádio OK (104,1 FM), no último sábado. Virgílio é suplente de deputado distrital pelo PSDB. O Conectado ao Poder é apresentado por este colunista, com a participação de Rodrigo Mercúccio e Bruno Oliveira, todo sábado, das 6h às 8h. A Coluna On´s e Off´s trouxe um resumo das declarações.

Instituto

“O Instituto Virgílio Neto atende cerca de três mil famílias somente na unidade do Sol Nascente. O Instituto realiza um trabalho social desde 2009, no Sol Nascente, com atuação em todas as regiões administrativas e três sedes próprias: Sol Nascente, Varjão e Itapoã. Nas demais regiões, o Instituto atua em parceria com igrejas e associações comunitárias. Em todo o DF o Instituto chega a atender até 20 mil famílias por mês.”

Legislativo

“Faço um trabalho social há 25 anos, comecei em 1992, e temos feito muito pelas pessoas, sem recurso público, sem o envolvimento da máquina pública. Imagina o que podemos fazer se tivermos um mandato para defender essas pessoas?”

Parcerias

“O Instituto se mantém com a parceria de empresários e amigos. A Feira do Produtor, em Ceilândia, chega a doar alimentos que formam aproximadamente 200 cestas, que são doadas diariamente para famílias carentes. Além disso atuamos resgatando usuários de álcool e/ou drogas e encaminhando para casas de recuperação.”

PSDB

“O PSDB participou da eleição do governador Rodrigo Rollemberg com o apoio oficial no segundo turno. Foi um pedido da executiva nacional feito pelo candidato a presidência da república, o senador Aécio Neves. O PSDB com certeza é um dos responsáveis pelo governo Rollemberg dar certo ou não. Acho mais do que justo fazer parte do governo.”

Divisão partidária

“O PSDB está entre os maiores partidos do DF no quesito filiação partidária. Hoje são mas de 28 mil filiados. Essa divergência entre grupos internos é normal, principalmente pelo tamanho do partido.”

Divisão interna

“Infelizmente o deputado federal Izalci Lucas não soube conquistar os filiados do partido e houve essa divisão por conta de diferenças que são normais na política. Izalci tem um projeto político pessoal. Ele pensou somente nele e em seu grupo político e não no partido”.

Sem composição

“Pessoalmente tentei por várias vezes uma composição com o Izalci, na época eu era Secretário Geral da Executiva do PSDB/DF. Estou no partido desde 2008. Sempre mantive cargos na executiva da sigla.”

Expulsão

“Não creio que haja expulsão de nenhum dos membros do PSDB. Todos possuem uma história no partido. A ex-governadora Maria de Lourdes Abadia é um patrimônio do partido, não tem como ela ser expulsa, ela é o maior expoente do PSDB. Hoje já não se fala mais em expulsão no partido, entendo que as coisas estejam bem mais tranquilas em ambos os grupos.”

Eleição

“O ideal é que haja eleição interna no PSDB e ainda estamos buscando isso. Foi tentado a composição e não houve, foi tentado a eleição e não houve. O Izalci conseguiu essa intervenção por mais 120 dias e em meados de fevereiro se encerrará e com certeza teremos uma eleição no PSDB. A própria executiva nacional do partido quer que haja a eleição.”

Indefinição

“Na realidade o projeto de eleição ao governo do DF será definido pela nacional. Essa determinação virá de cima. Quem determina é a executiva nacional. Hoje não há nenhuma definição da nacional em relação ao PSDB ter ou não candidatura própria no DF. Isso só deve começar a ser discutido a partir de março de 2018”.

Fábrica Social

“Estou surpreendido com o projeto da Fábrica Social. O projeto é tocado pelo GDF e hoje faz parte da minha subsecretária. A Fábrica capacita pessoas em situação de vulnerabilidade. Nosso objetivo é tirar essas pessoas da dependência do assistencialismo, capacitando os inscritos para que eles tenham a oportunidade de entrar no mercado de trabalho”.

Corte e costura

“A área de confecção da Fábrica Social é a maior do DF. Nem mesmo a iniciativa privada tem uma estrutura como a da Fábrica. Os alunos saem preparados para montar sua empresa, para empreender”.

Cursos

“Além do curso de corte e costura ofertamos vagas para o curso de placas fotovoltaicas (energia solar). O curso ensina montagem e manutenção das placas. Toda a produção é doada para os órgãos públicos. Marcenaria, eletricista, pedreiro, bombeiro hidráulico e hortaliças são alguns dos cursos oferecidos pela Fábrica Social”.

Fábrica Itinerante

“Essa semana começamos um projeto piloto chamado Fábrica Itinerante que esta sendo realizado nas unidades de internação. Levamos a fábrica de bolas para dentro da unidade de internação de Planaltina. Nesta semana levaremos a fábrica de redes de futebol e vôlei. Toda produção fica para os jovens responsáveis pela confecção dos produtos”.

Economia

“O intuito da Fábrica Social é de ajudar o Estado. Podemos produzir uniforme escolar, lençóis para os hospitais, etc. Temos a mão de obra e o material básico. Essa integração das instituições públicas pode beneficiar o governo proporcionando economia para os cofres públicos”.

* A Coluna é escrita por Sandro Gianelli e publicada de segunda a sexta no Blog do Sandro Gianelli, no Jornal Alô Brasília e no Portal Alô Brasília.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorOn´s e Off´s | REDE começa a desembarcar do governo
Próximo artigoMarketing político e eleitoral – Parte IV

Consultor em Marketing Político; especialista em pesquisa de opinião pública; autor do Blog do Sandro Gianelli; escreve a coluna On´s e Off´s, de segunda a sexta, no Jornal Alô Brasília; apresenta o programa Conectado ao Poder, aos sábados, das 12h às 14h, na Rádio OK FM. É presidente da Associação dos Blogueiros de Política do Distrito Federal e Entorno.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here