Entrevista | “A Campus Party DF pode se tornar a maior do Brasil em 2018”, diz Thiago Jarjour

Por Sandro Gianelli

O Secretário Adjunto do Trabalho do GDF, Thiago Jarjour, concedeu entrevista ao programa Conectado ao Poder, da Rádio OK (104,1 FM), no último sábado. Jarjour é pré-candidato a deputado distrital e esta sem partido. O Conectado ao Poder é apresentado por este colunista com a participação de Rodrigo Mercúccio e Bruno Oliveira, todo sábado, das 6h às 8h. A Coluna On´s e Off´s trouxe um resumo das declarações.

Qualifica Mais Brasília

“A responsabilidade e atribuição de fornecer e prover qualificação profissional para os trabalhadores de forma gratuita e da nossa secretaria. Tivemos que usar de bastante criatividade por conta das dificuldades financeiras do governo e dessa necessidade nasceu o Qualifica Mais Brasília.”

Crise financeira

“Os programas de qualificação profissional da secretaria, historicamente eram muito caros, muito onerosos, custavam milhões de reais e lembramos que estamos no século XXI dotados de várias ferramentas para facilitar a vida do cidadão com inovação e tecnologia.”

Solução tecnológica

“Resolvemos fazer o primeiro portal de qualificação profissional em modalidade de ensino a distância. O portal têm nos surpreendido muito. Tem sido um sucesso.”

Expectativa superada

“Em 2016, tínhamos 21 cursos ofertados de forma gratuita pelo portal. Os cursos possuem entre 40 e 160 horas/aula. O trabalhadores levam cerca de 3 meses para concluir um curso de 160 horas. A expectativa era de 10 mil matrículas e em 10 meses tivemos mais de 31 mil matrículas. Quase 12 mil pessoas formadas.”

Ampliação

“Em 2017 ampliamos de 21 para 29 cursos. Queremos ampliar um pouco mais em 2018, atuando de acordo com a necessidade do mercado de trabalho.”

Empregados

“Dos quase 12 mil certificados entregues pelo Qualifica Mais Brasília, mais de 5 mil participantes conseguiram uma recolocação no mercado de trabalho. Quase 50% dos participantes que se formaram declararam que conseguiram arrumar um emprego após a realização dos cursos.”

Necessidade mercadológica

“Os cursos são bem atuais. Feitos de acordo com a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), que fornece dados sobre quais as necessidades existem no mercado de trabalho.”

Campus Party

“A Campus Party é o maior evento de inovação, tecnologia e empreendedorismo do mundo. Trabalho e educação foram os temas mais discutidos na Campus Party de Brasília, ou seja, educação para o trabalho do futuro.”

Novas profissões

“Nos próximos 10, 15 ou 20 anos o mercado de trabalho vai se reinventar completamente e o Distrito Federal precisa se preparar para isso.”

Postos de trabalho

“Hoje, 70% dos postos de trabalho do DF são na área de serviços. Os postos de trabalho na área de comércio chegam a no máximo 20%. Temos que começar a apostar em novas matrizes de desenvolvimento econômico. Pois a tendência é que esses postos de trabalho focados em prestação de serviço diminuam nos próximos anos.”

Vocação

“O DF tem uma vocação logística por estar no centro do país. Não tenho a menor duvida de que a vocação do DF para os próximos anos é apostar no ecossistema de inovação e tecnologia.”

Startup

“Dois estudantes da UnB montaram a empresa Zero Paper em 2010. Eles não conseguiram desenvolver a empresa no DF. Foram receber mentoria e aceleração num programa do Rio de Janeiro. Voltaram para o DF, não conseguiram desenvolver a empresa mais uma vez e foram para São Paulo. Pouco mais de um ano em São Paulo eles receberam uma oferta de compra de uma empresa americana de aproximadamente 60 milhões de dólares. A empresa foi vendida e conseguiram manter a empresa em São Paulo, empregando entre 60 e 90 pessoas.”

Parque tecnológico

“A Zero Paper é um exemplo de empresa que poderia estar no parque tecnológico do DF, se ele tivesse sido implementado.”

Inovação

“Tenho defendido os Food Trucks e a regulamentação dos aplicativos de transporte como Uber, 99Pop e Cabify.”

Prospera

“O Prospera é um programa de microcrédito para microempreendedores. A secretaria de trabalho faz empréstimos para microempreendedores. Chegaremos próximo a 10 milhões de reais emprestados, somente em 2017.”

Foco no problema

“Identificamos no começo do ano uma grande evasão de jovens na área rural. Os filhos dos pais que atuam no campo não estavam seguindo a atuação dos pais. Criamos um crédito para a área rural e conseguimos manter os jovens dando sequência ao trabalho dos pais.”

Desemprego

“O maior desafio da secretaria de trabalho era vencer o desemprego. Nos últimos 10 meses consecutivos o DF vem apresentando um quadro que a maioria dos estados do Brasil não chegam nem perto. Começamos a diminuir o índice de desemprego. São 10 meses de bons resultados.”

Qualificação

“Esse desafio é tanto da secretaria do trabalho, quanto da secretaria de desenvolvimento econômico. Uma pasta cria as ações de fomento e desenvolvimento econômico e a outra qualifica para a ocupação dos postos de trabalho. A secretaria de trabalho não cria postos de trabalho, ela qualifica para aumentar a possibilidade de aceitação no mercado de trabalho.”

* A Coluna é escrita por Sandro Gianelli e publicada de segunda a sexta no Blog do Sandro Gianelli, no Jornal Alô Brasília e no Portal Alô Brasília.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here