Marketing político e eleitoral – Parte V

Olá, estamos aqui novamente, para construir e debater o marketing político e eleitoral, quero começar dizendo que a campanha para vereador é muito mais difícil do que a de prefeito, com muitos anos de profissão e experiência no mercado político, mas o fato é,  só você fazer a conta e somar quantos candidatos têm na sua cidade para proporcional e para majoritário, geralmente têm na média de quatro para prefeito e de mais de duzentos para vereador. Então, fazer campanha contra quatro é uma coisa, e  contra mais de duzentos é bem diferente. Muito bem, número de votos, quantos votos um candidato a prefeito precisa? Se for em dois candidatos 50% mais um, se forem três candidatos 34, 35% eu elejo, e para vereador quantos votos preciso para vereador, alguém sabe? Você não sabe nunca, pois você pode ter muitos votos, mas se o seu partido não conseguir legenda, você não está eleito, você nunca sabe o número de votos que é preciso, você precisa fazer duas campanhas para vereador, para você ter voto e pro seu partido também, porque se o seu partido não tiver voto de legenda você não será eleito. Veja que loucura é essa, em São Paulo o Enéas que foi campeão de votos para deputado federal e teve gente que fez mais de cem mil votos e não foi eleito e na chapa do Enéas ele levou candidato com apenas duzentos votos, duzentos votos para candidato a deputado federal em São Paulo, é mole?

Porque as pessoas votam em um prefeito ou em um vereador, a primeira coisa que vem na cabeça é a competência que ele tem para solucionar os problemas, a segunda coisa que os eleitores percebem é o resultado, se o que ele fala trará resultados para mim para as pessoas e para a cidade.

E para conseguir tudo isso precisa-se de Estratégia. Eu, sempre trago comigo uma frase do visionário Alvin Toffler que diz “ou você tem uma estratégia ou faz parte da estratégia de alguém” partindo desse princípio temos que planejar o início o meio e o fim, e ficar sempre atento para as mudanças ou as curvas bruscas que terá que fazer nessa corrida.

O voto nada mais é do que emoção misturado com expectativa que as pessoas têm em alguém que poderá fazer algo para ela, assim não existe voto por aquilo que você fez no passado, os candidatos sempre se enganam focando sua campanha diretamente no que fez no passado e como sempre diz o mestre Carlos Manhanelli, presidente da Abcop, não existe voto de gratidão, as pessoas querem saber o que elas vão ter daqui pra frente, pois o que já foi feito não passou de obrigação.

Gente, não adianta você contratar o Duda Mendonça pra fazer a sua campanha se  você não tem uma equipe, se você não tem uma estrutura, então antes de contratar um consultor político, monte o seu time.

Eu acredito que essa campanha de 2016 será a campanha mais difícil da história, pois será uma campanha com menos dinheiro e conforme a história que estamos vivendo na política atual, será uma campanha onde os candidatos trarão uma carga gigante de desgaste político além do desprezo pela população que não aguenta mais ouvir e ver os roubos e desmandos que acontecem em todos os lugares onde existe o poder público no meio. Agora ao meu ver a diminuição de custo não vai acontecer da forma que o legislador previu, muita água continuará a passar por debaixo da ponte do rio Coxipó.

Essa nova legislação mais do que nunca serve para a perpetuação do candidato que já está no poder pois o mesmo traz consigo o trabalho atual junto ao público eleitor durante quatro anos de mandato em detrimento de quem está começando agora.    Assim, um está correndo e outro começando a caminhar.

O voto para o candidato majoritário vem de uma base social construída através das lideranças, clubes de serviços, envolvimentos, enquanto a do proporcional vem de uma base geográfica onde ele defende a pretensão daquela massa. Assim prefeito trabalha por atacado e vereador no varejo.

E por último, vamos falar na escolha do vice prefeito que tem um papel fundamental no processo eleitoral, ou ele traz voto ou traz dinheiro , e se ele não tiver nenhuma dessas qualidades por favor substitua.

Nos próximos artigos trarei mais informações relevantes, sendo que o mais importante é deixar que um profissional monte e estabeleça os principais critérios e o melhor planejamento para sua corrida eleitoral, boa sorte.

Cláudio Cordeiro – Advogado, Consultor Politico ABCOP, Presidente SINAPRO/MT, Membro ALAP, diretor da Gonçalves Cordeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here