Artigos

A influência das redes sociais nas eleições

Sandro Gianelli
Escrito por Sandro Gianelli em 15 de agosto de 2020
A influência das redes sociais nas eleições
Junte-se a mais de 3895 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Por Sandro Gianelli

Muitos pré-candidatos me perguntam sobre o uso das redes sociais nas campanhas eleitorais. Alguns acreditam que a principal forma de comunicar suas propostas nas eleições de 2020 será pelas redes sociais.

Tem os mais céticos que duvidam da efetividade das redes sociais, mesmo com tantos casos de resultado positivo nas eleições de 2018. O grande desafio será, sem dúvida, converter seguidores e fãs em eleitores, afinal, todos estão cansados de saber que like não é voto.

Nas eleições de 2018, tivemos casos de políticos que foram eleitos se comunicando apenas pelas redes sociais.

Agora o que mais chama a atenção é que tem muito pré-candidato que sonha com um planejamento de campanha, único e exclusivo, para as redes sociais. Para esses resta saber se ainda existe tempo para que os resultados esperados sejam alcançados.

Muitos especialistas afirmam que não se ganha uma campanha somente nas redes sociais, mas entendem sua importância e sabem o quanto as redes sociais podem ser importantes, principalmente, para a derrota nas urnas.

Vejo as redes sociais como um reflexo de nossas vidas. Mas ali as pessoas se sentem empoderadas a agir de forma, que nem sempre, agiriam presencialmente.

Nas redes sociais as pessoas falam o que pensam, sem se importar com o receptor da mensagem. Defendem seus pontos de vista, suas crenças e posicionamentos. Debatem assuntos diversos, se unem em defesa de um pensamento e com certeza as redes sociais serão palco de muitas discussões sobre os candidatos, principalmente os majoritários.

Uma das principais redes sociais do momento, o Facebook, é o principal responsável pela mudança da opinião crítica dos cidadãos e dessa união em torno de temas específicos, onde usuários vivem o fenômeno da crítica midiática.

As redes sociais deram as pessoas outra via de acesso à informação, onde a principal característica é a interação. Essa nova forma de informação e interação, traz a tona uma liberdade de expressão que acaba promovendo as mobilizações que questionam o sistema político e os políticos, e sem duvida será muito utilizada para avaliar e crucificar os novos candidatos.

Uma avaliação é certa. A internet terá papel ativo nas eleições de 2020 e o candidato que souber explorá-la, terá um grande aliado na campanha eleitoral.

Agora vale ressaltar que não adianta estar, apenas, presente, nas redes sociais. Segue três dicas importantes para quem é ativo nas redes sociais: bom conteúdo, monitoramento e relacionamento – não com os seguidores, mas sim, com os eleitores. Relembrando, like não é voto.

* Sandro Gianelli – Jornalista, radialista, apresentador de TV e consultor político com experiência em marketing político, eleitoral, digital e pesquisa de opinião pública.

Oi,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *